O futuro da energia sustentável: Conheça a Geradora de Energia Eólica Flutuante

A tecnologia tem evoluído cada vez mais rápido, e as fontes de energias renováveis também. Já é uma realidade a utilização da energia solar, onde muitas construtoras já tem usado em seus projetos para áreas comuns de condomínios e prédios. A eólica, que utiliza da energia gerada pelo vento, tem se mostrado extremamente eficiente para gerar eletricidade para municípios, onde, já existem diversas regiões com os famosos parques eólicos, como em Osório/RS. 

Esses são apenas alguns exemplos, temos muitas outras fontes de energia limpa, porém, uma empresa da Noruega quis ir mais longe, e mostrar que a geração de energia limpa pode evoluir e ser ainda mais benéfica para todos, principalmente, para o planeta. 

A Wind Catching Systems, fundada em 2017, veio com uma inovação que em breve será uma grande evolução no mundo todo: a Geradora de Energia Eólica Flutuante. Mas você deve estar pensando, ok, mas o que tem de diferente da energia eólica que temos hoje? O primeiro deles é que a instalação é feita em oceanos e não em solo terrestre, o segundo que tem menos impacto na vida marinha. A empresa viu que a nova tecnologia vai muito além de gerar energia para municípios, e os diferenciais são muitos, principalmente para o ecossistema, veja alguns:

🌪 Utilizar as grandes quantidades de energia disponíveis do vento pode ajudar a combater as mudanças climáticas

♻ Projetado para longa vida útil (50 anos) e reciclabilidade de materiais

🐋 Projetado para minimizar o uso de áreas marinhas e o efeito na vida marinha

E como funciona? Muito parecido com a energia eólica que conhecemos, porém, usando os ventos marítimos, pois as turbinas convencionais limitam a produção de energia acima de 11-12 m / s inclinando as lâminas. Utilizando toda a energia em velocidades de vento mais altas (do que as do solo) e o efeito multirotor, o Windcatcher gera 2,5 vezes mais energia anual por área do que uma turbina convencional.

Isso significa que, teremos o dobro da área de uma turbina eólica convencional de 15 MW. Para se ter uma ideia, uma unidade Windcatching irá gerar 5x a produção anual de energia de uma turbina eólica convencional.

Acredita-se que ainda em 2021 teremos a conclusão da verificação técnica e, entre os anos de 2022-2023, será possível a energia eólica flutuante competitiva. 

Enquanto essa tecnologia não chega no Brasil, precisamos continuar, cada vez mais, fazendo o possível para colaborar com todo o nosso ecossistema. 

Embapel: Aqui se muda o mundo.

Fonte: https://windcatching.com/

Entre em contato

Posts Relacionados

Imagem de Post - Empabel

Big Bags: As grandonas recicladas

Mas, afinal, o que são as Big Bags (você deve estar pensando)? Bom, são sacas contentoras feitas para transportar volumes médios de muitos materiais disponíveis,